Bloqueio de aparelho: saiba proteger o acesso às suas informações

Por hora, mais de 60 smartphones são roubados no Brasil — a cada intervalo de 60 minutos, pelo menos 3 celulares são furtados no Rio de Janeiro. Se continuarmos com essa listagem você verá o quão preocupante é não manter a segurança devida dos dispositivos móveis, e olhe que esse é só uns dos motivos que devemos protegê-los. Portanto, falar de bloqueio de aparelho é oportuno e pertinente, sobretudo quando existe a possibilidade de isso afetar os negócios.

Em 2017, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou dados assustadores registrados pelo Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (Cemi): mais de 9 milhões de aparelhos são bloqueados devido à perda, furto ou roubo. Ou seja, um aumento considerável de 21,05% em relação a novembro do ano anterior. No exterior a situação também não é diferente, uma vez que quase 40 milhões de registros foram detectados.

Diante disso, qual é a melhor solução? Sobre os furtos e roubos não podemos dar nenhuma garantia de imunidade, mas se você quer proteger os dados dos dispositivos, então, leia este artigo e veja o que pode ser feito para evitar dores de cabeça desnecessárias.

Use senhas para desbloquear aplicativos e documentos

Apesar de esse ser um dos métodos mais comuns, ele é essencial quando se trata de proteção do dispositivo. Afinal de contas, o recurso inibe a ação de pessoas estranhas. A configuração não é complicada e o usuário tem a possibilidade de cadastrar senhas numéricas, deslizantes ou mesmo estabelecer um código PIN.

Em determinados equipamentos, como o iPhone, por exemplo, o sistema é via scanner digital. Isso quer dizer que apenas o dono pode desbloqueá-los por meio do reconhecimento biométrico. Sendo assim, qualquer pessoa mal-intencionada ou criminosa não tem a menor chance diante desse tipo de tecnologia.

Invista em ferramenta de acesso remoto

Muita gente ainda desconhece a eficiência dos recursos remotos, o que é uma pena, pois eles são extremamente úteis na hora de localizar o aparelho perdido ou extraviado. A Apple, inclusive, disponibiliza a opção “Buscar meu iPhone” nos dispositivos com versão a partir da 3.0 do iOS.

O mais interessante nisso tudo é que, mesmo longe do celular, podemos enviar um número de contato para a devolução ou travá-lo, impedindo, imediatamente, o acesso de outra pessoa. Uma alternativa que compensa bastante é a “Apagar iPhone”. Nesse caso, assim que a ativação é feita pela configuração do iCloud, todos os dados são excluídos.

No Android, a depender da capacidade do aparelho, também é possível realizar consultas via conta Google. Por meio do Gerenciador de Dispositivo Android, temos a possibilidade de localizar, bloquear e até mesmo apagar os dados existentes. Isso também é válido para o sistema Windows Phone, que permite encontrar o telefone a partir de uma configuração automática.

Restrinja o acesso de dados corporativos fora do horário

Quando o assunto tem a ver com informações estratégicas e sigilosas da empresa, todo cuidado é pouco — e hoje, no mercado, há soluções específicas para isso. Por meio delas, o gestor define os horários em que os aplicativos e e-mails corporativos ficarão disponíveis, mas não para por aí, porque o dispositivo ainda pode ser bloqueado ao menor sinal de mau uso.

Crie uma whitelist de sites

A whitelist ou “lista do bem” é constituída por um grupo de endereços de IP, e-mails ou domínios, previamente determinados e com entrega permitida, sem precisar se submeter a filtros de spam. Criar uma lista branca é a oportunidade que o gestor tem de bloquear sites inapropriados de serem acessados por aparelhos corporativos. Nesse caso, apenas a listagem de endereços permitida é que poderá ser acessada.

Bloqueie o acesso a apps

A configuração de aplicativos tem a função de evitar que qualquer pessoa ingresse em funções não permitidas durante o horário de trabalho. Por exemplo, os apps de redes sociais, que normalmente costumam distrair os colaboradores, podem ser gerenciados, segundo os interesses organizacionais. Outra forma de garantir a segurança nesse sentido é realizada através de outros aplicativos específicos, como:

  • AppLock: restringe o acesso a determinadas funções e ainda personaliza a tela de bloqueio;
  • Lookdown Pro: protege com recursos básicos e ainda grava a imagem invasor, que fica nos registros com data e horário do ingresso.

Criptografe os dados

A aplicação de todas as dicas anteriores já garante à sua empresa uma proteção significativa. No entanto, a criptografia das informações tende a ser ainda mais eficiente, pois, ao codificar as informações, a segurança é elevada, inibindo, sobretudo, ações ousadas de hackers.

Esse tipo de bloqueio de aparelho é recomendado no caso de o conteúdo contido no dispositivo ser de grande relevância organizacional, uma vez que a eficiência do recurso atende necessidades criteriosas.

No sistema iOS, o usuário deve acessar o tema “Ajustes” para, então, ativar o código. Já no Android, a aplicação é feita por meio da configuração do aparelho. Contudo, o Windows Phone 8 executa a encriptação automaticamente, por meio do Encryption.

Assim, evita-se que pessoas não permitidas tenham acessos dados. O único ponto negativo é que o smartphone fica um pouco lento, pois os todos os dados são decodificados antes de serem acessados.

Faça backup dos arquivos

Talvez esse seja o método mais utilizado por usuários de dispositivos móveis. Afinal, ele garante a preservação das informações — no caso de problemas técnicos — e a segurança do conteúdo se os aparelhos forem extraviados.

Nos equipamentos Android, por exemplo, o Google protege senhas, dados dos aplicativos, preferências de uso e por aí vai. No entanto, faz-se necessário realizar uma configuração prévia, a fim de que o conteúdo fique armazenado na nuvem e possam ser recuperados no momento oportuno.

Na Apple, o mesmo procedimento pode ser executado via iCloud. Contudo, alguns aplicativos como Dropbox, OneDrive, Flickr, servem bem para a restauração e armazenamento na nuvem.

O bloqueio de aparelho é uma medida de segurança fundamental para qualquer empresa, principalmente nos dias em que a criminalidade e facilidade de acesso às novas tecnologias são crescentes. Ao proteger o equipamento corporativo, você garante uma gestão de telefonia, incentiva a produtividade e evita contratempos desnecessários.

Que os dispositivos móveis estão em alta, não discutimos. Por isso, investir nesse tipo de acessório melhora (e muito!) os planejamentos estratégicos, que também dependem de ações dinâmicas e atuais. Pensando nisso, separamos este artigo que mostra 5 razões para você alugar em vez de comprar tablets.

2018-09-29T15:38:17+00:00 29 - agosto - 18|Aluguel para empresas|
WhatsApp chat